Arquivos de sites

Bar do Zezé: Sonho Meu

Eu sei que o blog é mais focado em bares e botecos de São Paulo, mas saiu a receita campeã do Comida di Buteco, concurso que acontece todo ano em Belo Horizonte, e eu não poderia deixar de publicar!

A receita campeã é a Sonho Meu, um prato com músculo cozido acompanhao de feijão andu, calabreza, bacon, e mandioca amarela com manteiga de garrafa. Com o título, o Bar do Zezé é tricampeão. Parabéns!

Vamos à receita:

Foto: Beto Eterovick

Ingredientes:
– 1 Kg Músculo
– 500g Feijão Andu
– 1 Tomate médio sem sementes e em cubos
– 1 Cebola média cortada em cubos
– 200g Lingüiça calabresa em rodelas
– 200g Bacon
– 1 colher (sopa) alho e sal
– 1 colher (sopa) Colorau
– Óleo
– 1 Kg Mandioca amarela
– 1 colher (sopa) Manteiga de garrafa
– 1 colher (café) sal
– Pimentões verde, vermelho e amarelo picados em tiras
– Cheiro verde e pimenta biquinho a gosto
– 2 colheres de maionese

Modo de fazer:
Corte a carne em cubos e tempere com alho e sal. Refogue a carne com um fio de óleo e o colorau e cozinhe na pressão por 20 minutos.

Cozinhar o feijão andu com a linguiça calabresa em rodelas de 15 a 20 minutos; depois de cozido escorra o caldo e reserve.

Frite o bacon, a cebola, acrescente o tomate em cubos, os pimentões e em seguida o feijão com a linguiça calabresa; depois de refogados junte-os à carne já cozida.

Mandioca
Cozinhe a mandioca com 1 colher (café) de sal até quase desmanchar; acrescente a manteiga de garrafa e a maionese.

Monte o prato e enfeite com cheiro verde e pimenta biquinho.

———————————————————————————————-

Vi essa receita no blog do Marcelo Katsuki. Agora você pode fazer em casa ou, se preferir, pode fazer uma visita ao Bar do Zezé, que fica na Rua Pinheiro Chagas, 406 – Barreiro de Baixo/MG.

Um manual completo para catapultar a ressaca

Estava procurando um e-mail antigo na minha caixa de entrada, quando encontrei um e-mail do meu pai:

“Lu,
Vou mandar algumas matérias que encontrei que acho poderia incrementar o Blog com informações importantes.
Veja a matéria – retirada do site Minha Vida

Nem lembrava disso. Bateu uma saudade do velho… =/

Segue uma das matérias:

—————————————————————————————————————————————————————-

Nada pior do que exagerar no álcool e sofrer com os desprazeres da indesejada ressaca do dia seguinte. A cabeça parece que vai explodir, o enjôo, a tontura, a fraqueza e uma sede de matar fazem você desejar nunca ter esvaziado um copo antes. Não é à toa que seu corpo está debilitado. Funciona assim: o organismo gasta glicose para metabolizar o álcool. Glicose é açúcar, açúcar é energia. Resultado: ficamos enfraquecidos.

O excesso de álcool também ataca o sistema nervoso central e provoca sono e irritação; corrompe mecanismos químicos cerebrais, ocasionando dor-de-cabeça; irrita as mucosas do aparelho digestivo, causando náuseas, vômito e diarréia; e inibe a ação do hormônio antidiurético, levando a sede e boca seca.

A zonzeira não pára aí. A ingestão excessiva de álcool pode trazer diversos prejuízos à saúde como o ganho de peso e acúmulo de gordura, principalmente na região abdominal. “O consumo crônico pode causar lesões cerebrais, diabetes tipo 2, úlceras e inflamações no estômago e intestino, hepatite, depressão, lesão nos rins, na bexiga, próstata e pâncreas, entre outras doenças” , alerta a nutricionista Fabiana Honda, da consultoria nutricional Patrícia Bertolucci.


Como evitar
1. Alimentar-se antes de beber é a regra de ouro contra a ressaca. “Quando bebemos de estômago cheio, os alimentos diminuem a difusão do álcool pelas paredes do estômago e retardam a passagem do álcool para o intestino, onde ele é rapidamente absorvido” , explica Fabiana. Dessa forma, o álcool entra gradualmente na corrente sangüínea e demora mais tempo para chegar ao cérebro.

2. Procure ingerir alimentos que irão proteger o seu fígado. É ele que fabrica a enzima que digere o álcool e, quando sobrecarregado, produz uma toxina que causa dor-de-cabeça. Dias antes, encare um suco de beterraba e alho para turbinar o orgão. Inclua na sua refeição alimentos com gordura poliinsaturada, encontrada em peixes e no azeite de oliva extravirgem. Então pegue a sua colher de azeite, despeje-a num prato, adicione sal e mergulhe pedaços de pão na mistura.

3. O ideal é beber moderadamente. A nutricionista Fabiana Honda aconselha intercalar a bebida com quitutes e copos de água. Dessa forma, o álcool não fica sozinho no estômago e, claro, você bebe menos, já que a barriga cheia reduz o espaço para as bebidinhas. “Os petiscos com carboidrato e/ou gordura retardam a absorção do álcool, por exemplo, uma torradinha com patê ou um pedaço de queijo” , recomenda. Dê preferência aos queijos, ricos em gordura, e às carnes, fontes de proteína, que facilitam a digestão do álcool. Castanha, amendoim, queijo e, para extrapolar, salaminho são bem- vindos. O sal e a gordura estimulam a secreção de substâncias estomacais que protegem o estômago do álcool. Mas evite petiscos muito salgados, que aumentam a sede a não ser que você opte por água.

4. Outra dica é colocar gelo ou água no drinque para diluí-lo ou intercalar bebidas não-alcoólicas e alcoólicas. Trocar a água por suco ou refrigerante também pode. Essas bebidas são ricas em carboidratos, que ajudam a metabolizar o álcool.

5. Embora a ressaca seja inevitável se você ingerir muito álcool, ela pode ser ainda pior: batidas, licores e uísque geram mais desconforto por causa da concentração e da mistura de substâncias.

6. Álcool e fumo formam uma dupla nefasta para o organismo. Quanto mais nicotina, menos oxigênio no sangue e mais rápido se dá o processo de intoxicação.


Como aliviar
1. A principal causa da ressaca é a desidratação provocada pelo álcool, um potente diurético que estimula a perda de líquido do corpo. Vá de água antes, durante e, principalmente, depois da bebedeira. Antes de dormir, ingira bastante água. Essa tática ajuda seu organismo a metabolizar o álcool enquanto você descansa. Se acordar para fazer xixi, tome mais água. Além de hidratar seu corpo, ela ajuda a eliminar o álcool e livrar-se das toxinas. Suco de acerola, limão e laranja também ajudam, porque bombeiam antioxidantes protetores e vitamina C no seu corpo. Beba isotônicos, para repor os sais minerais perdidos e abuse da água-de-coco, rica em potássio.

2. Evite o famoso cafezinho amargo, muitas vezes recomendado para diminuir a dor-de-cabeça. A bebida também tem propriedades diuréticas, ou seja, desidrata ainda mais o seu corpo.

3. Consuma alimentos de fácil digestão para não estressar ainda mais o organismo, já detonado pelo esforço de processar o álcool. “Para amenizar os efeitos da ressaca deve-se ter uma alimentação leve, pobre em gorduras, rica em frutas, vegetais e líquidos” , ensina Fabiana Honda. Inclua no cardápio os carboidratos complexos, como pão e biscoito de água e sal. O álcool aumenta a acidez e irrita a mucosa estomacal. Os alimentos secos e salgados desaceleram a produção de ácido. Essas comidas também dão energia para o fígado na hora de processar as toxinas e o excesso de bebida. Deixe de lado molho branco, queijos amarelos e fritura.

4. Embora alguns medicamentos ajudem a minimizar os estragos produzidos pelo álcool, como aqueles que unem analgésico (contra dor-de-cabeça), antiácido (contra a queimação no estômago) e antiemético (contra enjôos), nenhum é capaz de resolver tudo de uma só vez.

5. Por onde passa, o álcool causa baderna. Dentro da cabeça ele age nos neurônios daí a desinibição e a tonteira. Cerca de cinco horas depois da bebedeira as células cerebrais começam a se recuperar, mas ficam ultra-sensíveis. É por isso que a luz e o barulho incomodam tanto. No dia seguinte, os danos ainda são sentidos e é praticamente impossível se concentrar. Repouse. Mantenha a luz apagada, cortinas fechadas e fique deitado. Nesse momento o que o corpo mais pede é descanso.

6. Algumas ervas ajudam a renovar as células hepáticas e, assim, acelerar o processo de purificação das toxinas do álcool que estão no corpo. Chás de salsaparrilha, erva-picão, macela e erva-cidreira são excelentes desintoxicantes. Depois das refeições, o chá verde e o de hortelã facilitam a digestão. E, para uma limpeza mais completa do organismo, selecionamos três receitas de sucos poderosos, elaborados pela consultoria nutricional Patrícia Bertolucci.


Suco de couve e laranja
Ingredientes:
2 folhas de couve
suco de 8 laranjas
suco de 1 limão

Modo de preparo:
Bata todos os ingredientes no liqüidificador. Sirva gelado.
Rendimento: 4 copos
Calorias: 78 kcal por copo


Suco de maracujá com água de coco e gengibre
Ingredientes:
800 ml de água de coco
polpa de 1 maracujá
1 pedaço (1 cm) de gengibre

Modo de Preparo:
Bata os ingredientes no liqüidificador. Se desejar, acrescente pedras de gelo. Rendimento: 4 copos
Calorias: 53 kcal por copo


Suco de cenoura
Ingredientes:
1 cenoura
½ maço de salsinha
suco de 4 laranjas
2 fatias de abacaxi

Modo de Preparo:
Bata no liqüidificador todos os ingredientes e sirva.
Rendimento: 4 copos
Calorias: 78 kcal por copo

—————————————————————————————————————————————————————-
Bem dica de pai, né? =)

Comida di Buteco: qual o melhor petisco?

Eu sei que o Botequeiros é um blog que fala sobre bares e botecos de São Paulo, mas essa eu não poderia deixar passar em branco. Quem sabe, depois dessa, a gente não “confedere” o blog?

 

Pois então, de 1º a 31 de agosto, 31 bares do Rio de Janeiro estarão abertos a votação popular em urnas. Entre as categorias estão: melhor tira-gosto, atendimento, higiene e bebida gelada. Só espero que outros quesitos sejam algo como espaço físico, localização, preço, clientela e atrações (algo bem básico, né?).

 

Lembrando que quem está organizando é o Comida di Buteco. O mesmo site que fora recomendado pela nossa leitora, no artigo sobre Lei Seca.

 

Confira abaixo uma parte da matéria tirada do G1. 

 

“Boteco que é boteco tem que ter, além de chope gelado, aquele clássico ovo rosa, certo? Errado. Outras tradicionais e deliciosas receitas podem ser descobertas nos balcões da cidade. Consagrado em Belo Horizonte, o concurso Comida di Buteco estréia na boemia carioca com 31 botequins do Rio, um para cada dia do mês de agosto, para eleger os melhores tira-gosto e atendimento e a bebida mais gelada da cidade.

 

                                      Foto: divulgação

 

Na lista, quitutes como caldinho de feijão, bolinho de aipim e escondidinho de carne seca se juntam a misturas inusitadas como pastel de angu recheado com bacon, couve e torresmo, do Beco do Rato, o bolinho de feijoada, do Aconchego Carioca, e o petisco que leva o nome de Um rolê pelo subúrbio, no Original do Brás, que o bar define como um rolê ouriçado, com molho de Bohemia escura em mini Baías de Guanabara.

 

‘Nossa missão é resgatar a culinária de raiz e fazer com que as pessoas criem uma outra motivação para ir ao boteco, além do chope e da cervejinha’, contam os organizadores Eduardo Maya e Maria Eulália Araújo, que trazem para o Rio uma regra da competição mineira: os participantes têm que ficar 10 anos sem repetir as receitas inscritas. ‘Isso estimula a criação de novos pratos e a pesquisa e resgate de receitas’, completa Eulália.”

 

Quer ler mais? Então clique aqui.

Churrasquinhos do Luizinho*

Botequeiros (não troquem as letras), admiradores, parceiros, leitores e afins. Venho por meio deste, pedir minhas sinceras desculpas pela falta de atenção que temos dado ao blog. Tá, exagerei. Mas é que tá meio automático. Quem trabalha em empresa séria (é, dá pra acreditar que eu trabalho em uma?!) sabe como é ter que mandar esse tipo de e-mail!

 

Enfim, MALZAÊ! Hahahaha

 

Pra compensar um pouco, segue abaixo a dica de uma leitora que, de acordo com ela, se super solidarizou com a falta de receitas aqui no blog. Entrei no link que me enviou e fiquei procurando algo interessante. Mas foi como eu disse à ela: pelo fato de ser um site de BH, as receitas são bem diferentes das receitas daqui…E não são muito do agrado de nós paulistanos. Mas não custa nada conferir, né? Depois de uma bela pesquisada, segue abaixo uma receita que deve agradar muitas pessoas:

 

                                    Foto: www.comidadibuteco.com.br 

 

INGREDIENTES:

– 200g de costelinha de porco

– sal, alho, salsinha e cheiro verde a gosto

 

MODO DE PREPARO:

Temperar a costelinha e deixar curtir por um dia, espetar e assar na brasa. 

 

E pra acompanhar, aquela cervejinha, claro! Mas se você for de BH, pode ir na cachaça, não tem problema…haha 

 

PS: Não é aqueeeeele churrasquinho grego que nós tanto adoramos, mas acho que dá pro gasto…haha

 

*Mera coincidência com o escritor do post..hehe

Bolinho de brócolis e cenoura: saudável demais?

Parece que minha mãe divulgou o blog bem na semana que começamos a postar receitas, porque não é possível. Toda semana tem e-mail com receita nova. Mas galera, é o seguinte: quem mandar a receita, MANDA O LINK E EM QUAL BOTECO É SERVIDO! Senão eu tenho que ficar o dia inteiro googlando. Ah, se tiver foto, também ajuda.

 

Essa receita eu já ouvi falar, mas nunca tive a oportunidade de experimentar. Quem mandou? Eu não tenho a menor idéia. A pessoa não se identificou no final e o e-mail começava com algo como “bb_sp_sei-lá-o-que@hot”. Aí complica, pô! Enfim, vamos ao que interessa.

 

 

INGREDIENTES:

 

4  colheres de sopa de farinha de trigo

4  colheres de sopa de salsa picada

2  colheres de sopa de azeite

2 cenouras raladas, escaldadas e escorridas

Sal a gosto

Farinha de rosca para empanar

1 cebola pequena ralada

1 dente de alho amassado

1 maço de brócolis picado

Óleo para fritar

1 ovo

 

MODO DE PREPARO:

 

Em uma panela grande, aquecer o azeite. Colocar a cebola e o alho e deixar fritar até dourar. Juntar o brócolis picado, inclusive folhas e talos, e cozinhar até amolecer. Desligar o fogo, picar o brócolis em pedaços menores e transferir para outra tigela. Acrescentar a cenoura, a farinha de trigo, o ovo, a salsa, sal, e misturar bem. Moldar bolinhas de massa com as mãos, passar pela farinha de rosca e fritar em óleo bem quente até dourar. Escorrer em papel-toalha e servir. Uma dica muito boa: ao servir, colocar no centro da travessa um potinho com molho tártaro. Não tem erro! Aí é só pegar a cervejinha e esquecer da vida…

 

A receita veio com esse link!

Bolovo, o amigo do boteco

Olá amiguinhos, aqui é sua amiga Palmirinha!! Ok, não é a Palmirinha, mas se fosse ia ser um baita de um ibope, não?

 

Hoje vamos aprender uma receita do prato mais típico do boteco: o bolovo!

 

Bolovo já virou celebridade, quitute cult, é praticamente o Wagner Moura dos salgados. Já brigou com a coxinha, já superou o croquete e virou mania nacional!

 

Amigo do ovo colorido, ele é o salgado que todo mundo foge, afinal é altamente ligado ao piriri do dia seguinte. Geralmente, é o salgado que está mais grudado no vidro da estufa, por isso dá um certo nojinho. Mas se você fizer com carinho e sazón, fica ó-te-mo. Vamos a receita:

 

INGREDIENTES:

 

3 copos americanos de farinha de trigo (copo americano é obrigatório na cozinha de um botequeiro)

3 copos americanos de leite

1 colher de sopa de margarina

1 cubo de caldo de galinha

sal

25 ovos de codorna (para fazer 25 bolinhos)

 

MODO DE PREPARO:

 

Cozinhe os ovos e deixe-os de lado para fazer a massa.

Na panela, junte o leite, a margarina, o caldo de galinha e o sal. Quando ferver, acrescente a farinha e mexa até a farinha dissolver e formar uma bola. Cuidado: a massa pode ficar dura dependendo da quantidade de farinha. Vai colocando aos poucos até chegar no ponto. Não seja mané e siga a receita!

Quando a massa der uma esfriada (não é para deixar fria, e sim morna), unte sua mão com margarina e desça a mão na massa até ela ficar bem lisa.

Faça uma bolinha da massa e recheie com um ovo de codorna cozido (em algumas receitas, o bolovo pode ser também de ovo picado com carne moída), tomando cuidado para não deixar ar entre a massa e ovo.

 

Para empanar, pegue um ovo e bata com um copo americano de água. Passe o bolinho nessa mistura e depois passe na farinha de rosca, que pode ser misturada com queijo ralado. Frite em uma panela funda com quatro dedos de óleo bem quente!

 

 El bolovo

 

Bolovo feliz, chupinhado desse blog

 

Sirva com uma cerveja bem gelada e um pagodão de fundo. Essa receita veio daqui.

Bolinho de mandioca com calabresa e catupiry: diferenciado

Chega de bolinho de mandioca. O esquema, agora, é bolinho de mandioca com calabresa e catupiry!

 

Esse petisco eu comi há muito tempo em algum boteco perto do aeroporto de Congonhas, mas não lembro o nome e, por alguma coincidência, recebi a receita por e-mail há umas 2 semanas.

 

Sai totalmente dos padrões de bolinhos que você já comeu, pode ter certeza. A única dificuldade é tentar parar de comer…

 

                                   Foto: inserida no e-mail

 

INGREDIENTES:

 

– 1kg de mandioca

– 250g de calabresa picada

– 200g de queijo catupiry

– Salsinha

– Cebolinha

– Sal

– Pimenta à gosto.

 

MODO DE PREPARO:

 

1. Cozinhar a mandioca até o ponto de massa.

2. Misturar com os outros ingredientes (menos o catupiry).

3. Na hora de levar à forma, deixar um pequeno “buraco” para acrescentar o catupiry. Depois, é só fritar para servir.

 

A receita veio acompanhada deste link!

%d bloggers like this: