Arquivos de sites

Drinkify: combine a música com um drink

Quem está no Facebook deve ter visto (ou em breve verá) algum amigo compartilhando o link do Drinkify.

Este site surgiu de uma idéia bem simples: a combinação entre a música e a bebida. Vai dizer que nunca teve dúvida do que ouvir enquanto tomava um vinho, ou o que beber enquanto ouvia “É o tchan“?

Obrigado aos criadores Hannah Donovan (@han), Lindsay Eyink (@leyink) e Matthew Ogle (@flaneur). Problema resolvido.

Alta Fidelidade: Top 5 músicas de bebedeira!

Caros leitores,

 

O Botequeiros United Club, em associação com os Aspones e com Eu, Eu Mesmo e Irene, irá apresentar as 5 melhores músicas de bebedeira. Como vocês devem já ter percebido, eu não sou muito fã de “It´s Britney, bitch”, então a seleção é, digamos, metaaaaal! Mentira, porque eu gosto de Michael “Little Yummy Children” Jackson, mas ele não está nesta lista. A lista é de rock, mas se quiserem complementar, be my guest!

Então confiram, comentem e opinem: sugestões são bem vindas e críticas… Bem, para críticas, liguem no nosso SAC, digitem 2, 5, 9, 8, 7, 22, 32675 e aguardem o fim da gravação.

 

5. Alabama Song – The Doors

“Well, show me the way

To the next whiskey bar

Oh, don’t ask why

Oh, don’t ask why”.

 

O resto da letra, você encontra aqui.

 

Ouça um trecho do Alabama Song

 

Jim Morrison, se estivesse vivo (ou se nós soubéssemos fazer uma mesa branca), escreveria para o nosso Contos do Bebum. Essa música, que foi escrita pelo poeta Bertolt Brecht, é um pouco melancólica, analisando profundamente. Se formos comparar, parece um texto do Bukowski, um hino a bebedeira. Não é da bebedeira boa e sim aquela terminal. Despedida em Las Vegas, tá ligado? Porém, é uma música divertida, parece até uma polka, para beber e brindar.

 

4. Too drunk to fuck – Dead Kennedies

“And now I got diarrhea

Too drunk to fuck

Yeah, Yeah

Yeah, Yeah

Yeah, Yeah

Oooohhh”.

 

O resto da letra, você encontra aqui.

 

Ouça um trecho de Too Drunk to fuck

 

Podreira! Punk rock no talo e serve para vocês, machões, que enchem a cara, não pegam ninguém e para compensar, começam a brigar. E o pior, acordam com as calças cheias. Muitos não entendem a ironia da música, porém é isso que eu gosto no Biafra: para meio entendedor, uma palavra basta! Para pular na galera e beber cerveja, que pode ser da pior qualidade mesmo.

 

3. Eu não bebo mais – Matanza

“Há muito tempo eu chego em casa muito mal

Sem saber direito o que aconteceu

Eu parei, eu jurei pra minha mulher

O problema é que ela bebe mais que eu”.

 

O resto da letra, você encontra aqui

 

Clique aqui para o link da música no radio uol

 

Matanza é o criador das melhores músicas de bebedeira. Essa eu gosto mais ainda porque tira o lado machista de que só homem bebe! Essa é pra você que acorda pelado em um canto da casa, com dores no corpo, maquiagem borrada (isso vale para os homens também) sem saber o que fez e decidido a parar de beber. Sua promessa dura até as 15 horas do domingo, quando você já está com uma cerveja na mão e quando percebe, dá uma de Homer: D’oh!

 

2. A Praiera – Chico Science e Nação Zumbi

“E na praia é que se vê, a areia melhor pra deitar

Vou dançar uma ciranda pra beber

Uma cerveja antes do almoço é muito bom, pra ficar pensando

melhor”.

 

O resto da letra, você encontra aqui

 

Ouça um trecho de A Praiera

 

Finado Chico sabia beber. Era o famoso bebum de feijoada, aquele que toma uma cervejinha, uma caipirinha, um torresminho e sai numa boa. O que é mais legal nessa música é que ela é fina, para pessoas que saboreiam uma bebida e não ficam enchendo o caneco e dando basfond por aí. Boa para uma tarde de domingo, com a galera e família se preparando para o almoço, naquelas conversas sem fim que são as melhores do mundo.

 

1. Rehab – Amy Winehouse

“I don’t ever want to drink again

I just, ooh, I just need a friend

I’m not going to spend ten weeks

And have everyone think I’m on the mend”.

 

O resto da letra, você encontra aqui

 

Ouça um trecho de Rehab

 

Amy Winehouse é o Keith Richards de saia e cabelão. Ela é suja, drogada e prostituída, mas tem A voz. Esse hit do verão passado é bem fim da noite, com você cantando para o garçom, que é praticamente um terapeuta de alcoólatras. Essa é para a mulher largada, que fica com a cinza do cigarro até o topo e depois derruba tudo na saia, aquela que levou o pé do cara mais sem-vergonha do mundo mas está lá, bebendo para esquecer. Não, eu não sou assim, mas tenho uma amiga que é, sabe?

 

E essa é mais uma lista de top 5 do Botequeiros. Acompanhem nossa programação e saibam mais sobre bebidas, mulheres e dinheiro. Aqui é praticamente a Revista VIP.

Poxa, preciso de um texto mais feminino… Mulheres, may day!! Se vocês tiverem uma sugestão, avisem, ok?

 

Um beijo, um queijo e boa noite Brasil!

%d bloggers like this: