Arquivos de sites

Dia Nacional da Cachaça!

Para quem não sabe, hoje é o Dia Nacional da Cachaça!

Foto: Viagens Inesquecíveis

A data foi criada em 2009, mais precisamente no dia 28 de outubro, quando foi aprovada pela Comissão de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados.

No projeto, o autor, o deputado Valdir Colatto (PMDB-SC), afirma que a cachaça é um “símbolo nacional” e que, hoje, há uma “luta pelo reconhecimento da cachaça no mercado internacional como bebida exclusiva e genuinamente brasileira”.

A data foi escolhida porque foi em 13 de setembro de 1661 que a cachaça foi legalizada, após uma revolta popular contra o governo português, que proibia a sua comercialização nas então colônia.

Esse texto foi adaptado daqui.

Pra complementar, quem quiser preparar comidas e drinks com essa bebida histórica, é só clicar aqui.

Pesquisa: a importância de um boteco

Ainda da série Papai mandou por e-mail. =D
—————————————————————————————————————
Por que será que é mais fácil frequentar um bar do que uma academia? Para resolver esse grande dilema, foi necessário frequentar os dois (o bar e academia) por uma semana.

Vejam o resultado desta importante pesquisa:

Vantagem numérica:
Existem mais bares do que academias. Logo, é mais fácil encontrar um bar no seu caminho.
1×0 pro bar.

Ambiente:
No bar, todo mundo está alegre. É o lugar onde a dureza do dia a dia amolece no primeiro gole de cerveja. Na academia, todo mundo fica suando, carregando peso, bufando e fazendo cara feia.
2X0.

Amizade simples e sincera:
No bar, ninguém fica reparando se você está usando o tênis da moda.. Os companheiros do bar só reparam se o seu copo está cheio ou vazio.
3X0.

Compaixão:
Você já ganhou alguma ‘saideira’ na academia? Alguém já te deu uma semana de ginástica de graça? No bar, com certeza, você já ganhou uma cerveja ‘na faixa’.
4×0.

Liberdade:
Você pode fumar na academia? (Ok, foi antes dessa lei nova, mas pega mal sair da academia pra dar uma fumadinha, né?)
5×0.

Libertinagem e democracia:
No bar, você pode dividir um banco com outra pessoa do sexo oposto, ou do mesmo sexo, o problema é seu… Na academia, você não pode dividir um aparelho.
6×0.

Saúde:
Você já viu um ‘ barista’ (freqüentador de bar) com pedra no rim?
7×0.

Saudosismo:
Alguém já tocou a sua música preferida na academia, inclusive ‘aquela’ que você pede ‘n’ vezes quando está tentando ‘afogar’ o fora que levou?
8×0.

Emoção:
Onde você comemora a vitória do seu time? No bar ou na academia?
9×0.

Memória:
Você já aprontou algo na academia digno de contar para os seus netos? E no bar?
10×0 pro bar!

Aliás, você já fez amizade com alguém bebendo leite ou energético?

Portanto, se você tem amigos na academia, ainda há tempo de salvá-los do mau caminho.

Já dizia o Zé Pingola: “A cerveja e a cachaça são os piores inimigos do homem. Mas o homem que não enfrenta seus inimigos é um covarde”.
—————————————————————————————————————
E PUNTO E BASTA! hahahahahahahaha

Bar Iemanjá: uma noite para se lembrar (ou não)

Não, vocês não estão alucinando. Sim, sou eu escrevendo. É, eu mesmo! Mas não se acostumem (to me fazendo de difícil).

Este sábado eu, Rafael e dois amigos (vamos chamá-los de 1 e 2 – hahahaha – para não comprometer) resolvemos sair. Mas, diferentemente das outras vezes, queríamos gastar menos sentar, conversar e dar risada. A idéia era ir num barzinho na Vila Madalena. Qual? Isso faz parte da aventura. 

 

Mas o nosso querido amigo 1 já vacilou e resolveu chamar uma amiga que, coincidentemente, mora perto da minha casa. Então, lá foi o choffer. Nisso, Rafael disse que queria levar uma amiga. Sobraram eu e o amigo 2, que foi intitulado de “minha puta da noite”.

 

Voltando ao que interessa, depois de ir buscar a amiga do amigo 1, fui direto pra casa do Rafael, pois de lá iríamos de taxi. Aproveitamos pra fazer um esquenta, que envolveu um shot de cachaça artesanal pra mim, mais um copo de vodka com energético pra mim e o que sobrou, pro Rafael e pra nossa nova amiga.

 

Chegando na Vila Madalena, resolvemos ir no Maddá, mas tava lotado, não tinha hostess e os seguranças eram uma simpatia só. Muito bom, principalmente porque ontem nem tava frio. Então, resolvemos atravessar a rua e ir ao Bar Iemanjá. Tá, não foi simples assim, mas o álcool se nega a sair do meu corpo e eu to impaciente.

 

Fomos muito bem recepcionados por uma loira-linda-que-ainda-to-apaixonado-e-nem-me-deu-bola. Disse que não tinha mesa pra seis, mas que poderíamos esperar no balcão até vagar. Nisso, pedimos cinco shots de Germana (R$ 8,00), uma cachaça muito boa, mas não degustei, só virei. Lembro que, nesse mesmo período de tempo, encontramos o gerente do banco do amigo 2, mas só to falando isso pra constar. Ah, já que é pra constar, ele tava com uma japonesinha-gata-que-eu-também-to-apaixonado-até-agora.

 

Cinco minutos depois, conseguimos uma mesa e pedi uma Boazinha (R$ 5,00). Essa não condiz com o nome, mas com o seu estado depois de 2 minutos. Só digo que dali pra frente não me lembro de muita coisa. Lembro que pediram Chopp Escuro Brahma (R$ 5,00) e o claro também. Depois, lembro de ter pedido duas Bohemias long necks (R$ 5,00). Quer dizer, não lembro. Mas se o Rafa lembra, foi feito.

 

Muito liquido e pouca bexiga, igual a banheiro. Ok, limpinho, mas não tinha condições de tirar foto. Eu não tinha condições, diga-se de passagem. Mas o Rafa teve a brilhante idéia de tirar foto das pias, que era numa área comum. Lindo. Parecia de motel. E digo que essa não é uma sensação legal quando tem um homem ao lado. Enfim, lavei as mãos com sabão e com as pétalas. Já disse que adoro estragar a decoração dos lugares?

 

dsc00113

 

Se engana quem acha que a noite acabou ali. Fomos numa padaria famosíssima (a qual não lembro o nome) pra comer alguma coisa. Só digo que eu achava que tinha pedido um sanduíche de filet mignon, todos achavam que era mortadela, mas no final era picanha fatiada.

 

dsc00112

Ah é, a gente comeu mandioca… 

 

Bom, finalizo esse post pedindo desculpas aos meus pais que estão lendo e aproveito pra dar graças por trabalhar, estudar e não ter tempo de vê-los durante a semana pra tomar sermão. Ah, e a todos os presentes na noite de sábado: vergonha alheia rules! Hahahahahahaha

 

Onde? R. Mourato Coelho, 1325 – Pinheiros – São Paulo – SP

Telefone: (11) 3032-6881

Faixa de Preço: até R$ 35

Cartões: Visa | Mastercard | Credicard | Dinners

Horário: De 3ª a 6ª a partir das 17h; Sáb e dom a partir das 13h.

Faixa Etária: de 22 a 25

Lotação: 250

Site: www.bariemanja.com.br

quatrocopos1

Coisas de bêbado

Essa eu recebi por e-mail da Gabi, ex-bixete minha. Ex, porque abandonou a gloriosa PUC, mas ainda está nos nossos corações. hahahahahahahahahahahahaha

 

Coisas que são DIFÍCEIS de dizer quando você está bêbado:

– Indubitavelmente.

– Preliminarmente.

– Proliferação.

– Inconstitucional.

_____

 

Coisas que são EXTREMAMENTE DIFÍCEIS de dizer quando você esta bêbado:

– Especificidade.

– Transubstanciado.

– Verossimilhança.

– Três tigres.

– Papibaquigráfo

_____

 

Coisas que são TOTALMENTE IMPOSSÍVEIS de dizer quando você está bêbado:

– Puta merda que menina feia!!!

– Chega, já bebi demais.

– Sai fora, você não é o meu tipo…

_____

 

Como agir quando bebeu demais e está com os seguintes sintomas:

SINTOMA: Pés frios e úmidos.

CAUSA: Você está segurando o copo pelo lado errado.

SOLUÇÃO: Gire o copo até que a parte aberta esteja virada para cima.

 

SINTOMA: Pés quentes e úmidos.

CAUSA: Você fez xixi.

SOLUÇÃO: Vá se secar no banheiro mais próximo.

 

SINTOMA: A parede a sua frente está cheia de luzes.

CAUSA: Você caiu de costas no chão.

SOLUÇÃO: Coloque seu corpo a 90 graus do solo.

 

SINTOMA: O chão está embaçado.

CAUSA: Você está olhando para o chão através do fundo do seu copo vazio.

SOLUÇÃO: Compre outra cerveja ou similar.

 

SINTOMA: O chão está se movendo.

CAUSA: Você está sendo carregado ou arrastado.

SOLUÇÃO: Pergunte se estão te levando para outro bar.

 

SINTOMA: O local ficou completamente escuro.

CAUSA: O bar fechou.

SOLUÇÃO: Pergunte ao garçom o endereço de sua casa.

 

SINTOMA: O motorista do táxi é um elefante rosa.

CAUSA: Você bebeu muitíssimo.

SOLUÇÃO: Peça ao elefante que o leve para o hospital mais próximo.

 

SINTOMA: Você está olhando um espelho que se move como água.

CAUSA: Você está para vomitar em uma privada.

SOLUÇÃO: Enfie o dedo na garganta

 

SINTOMA: As pessoas falam produzindo um misterioso eco.

CAUSA: Você está com a garrafa de cerveja na orelha.

SOLUÇÃO: Deixe de ser palhaço.

 

SINTOMA: A danceteria se move muito e a música é muito repetitiva.

CAUSA: Você está em uma ambulância.

SOLUÇÃO: Não se mova. Possível coma alcoólico.

 

SINTOMA: A fortíssima luz da danceteria está cegando seus olhos.

CAUSA: Você está na rua e já é dia.

SOLUÇÃO: Tente encontrar o caminho de volta para casa.

 

SINTOMA: Seu amigo não liga para o que você fala.

CAUSA: Você está falando com uma caixa de correios.

SOLUÇÃO: Procure seu amigo para que ele te leve para casa.

 

SINTOMA: Seu amigo não pára de falar repetidamente as mesmas palavras

CAUSA: Você está falando com o cachorro do vizinho

SOLUÇÃO: Pergunte a ele onde é sua casa.

 

Alguém NÃO se identifica com essas coisas? HÁ!

Bom carnaval, bando de pinguço!

Gmail anti-bêbado – Faça uma prova de matemática

O celular pós-pago pode virar uma arma na mão de um bêbado (ok, qual a novidade?). Para infelicidade dos meus amigos, eu curto mandar SMS em horário nada usuais (alguns são retribuições por lembrarem de mim às 4 da madrugada de quarta-feira, por exemplo).  Admito que também já usei o MSN às 7 da manhã, bêbado e sem sono (não sei como, mas já cheguei a ter insônia bêbado). Só que eu nunca fiz uma coisa: mandar e-mail encachaçado.

 

Pelo jeito, esse tipo de e-mail é mais recorrente do que eu imaginava. O Gmail anunciou um novo aplicativo, voltado para internautas que têm bebido além da conta. A parada foi intitulada de Mail Goggles e, se ativado, funcionará apenas no final de semana durante a noite.

 

Enfim, se você for utilizar o e-mail com isso ativado, terá que fazer uma provinha de matemática (hahahahaha) depois de clicar em send.  Se conseguir completar o teste, o Google entende que a pessoa está sóbria o suficiente e manda a mensagem. Pô, to imaginando se um sóbrio não conseguir completar esse teste (hahahaha). 

 

 

Para ativar, entrem na guia Settings e depois em Labs. Ache o Mail Goggles, ative e salve a configuração.

 

A informação e a foto são do blog oficial do Gmail.

Bar ou Academia?

Mais um texto recebido por e-mail. Concordo em gênero e grau, mas ainda sou assíduo freqüentador desse espaço de culto ao corpo. Não sou daqueles que você e olha e diz “Nooooossa, mas que maraviiiilha”, como diria um amigo meu. Mas a culpa é do bar que me tenta.

 

“Porque será que é mais fácil freqüentar um bar do que uma academia?

 

Para resolver esse grande dilema, foi necessário freqüentar os dois (o bar e academia) por uma semana. Vejam o resultado desta importante pesquisa:

 

Vantagem numérica:

– Existem mais bares do que academias. Logo, é mais fácil encontrar um bar no seu caminho. 1×0 pro bar.

 

Ambiente:

– No bar, todo mundo está alegre. É o lugar onde a dureza do dia-a-dia amolece no primeiro gole de cerveja. Na academia, todo mundo fica suando, carregando peso, bufando e fazendo cara feia.. 2×0.

 

Amizade simples e sincera:

– No bar, ninguém fica reparando se você está usando o tênis da moda. Os companheiros do bar Só reparam se o seu copo está cheio ou vazio. 3×0.

 

Compaixão:

– Você já ganhou alguma ‘saideira’ na academia? Alguém já te deu uma semana de ginástica de graça? No bar, com certeza, você já ganhou uma cerveja ‘na faixa’. 4×0.

 

Liberdade:

– Você pode fumar na academia? 5×0.

 

Libertinagem e democracia:

– No bar, você pode dividir um banco com outra pessoa do sexo oposto, ou do mesmo sexo, o problema é seu… Na academia, você não pode dividir um aparelho. 6×0.

 

Saúde:

– Você já viu um ‘barista’ (freqüentador de bar) com pedra no rim? 7×0.

 

Saudosismo:

– Alguém já tocou a sua música preferida na academia, inclusive ‘aquela’ que você pede ‘n’ vezes quando está tentando ‘afogar’ o fora que levou? 8×0.

 

Emoção:

– Onde você comemora a vitória do seu time? No bar ou na academia? 9×0.

 

Memória:

– Você já aprontou algo na academia digno de contar para os seus netos? E no bar? 10×0 pro bar!!!

 

ENTÃO VAMOS PRO BAR!!!

Mas atenção:

 

Se for dirigir, não beba. Se for beber, ME CHAME PELO AMOR DE DEUS!!!

Aliás, você já fez amizade com alguém, bebendo leite ou bebida energética?

Portanto, se você tem amigos na academia, repasse este e-mail para salvá-los do mau caminho.

 

‘A cerveja e a cachaça são os piores inimigos do homem. Mas o homem que não enfrenta seus inimigos é um covarde’ (Zeca Pagodinho)’

Pirajá – “Lembranças de uma noite de sexta-feira”

Título auto-explicativo. A noite de sexta-feira começou com um grau cerveja-vodka-jurupinga na Ministro de Godói após a aula. Meus amigos compareceram a minha faculdade para sairmos para algum bar. Disse: “vou aproveitar e fazer uma avaliação para o Botequeiros”.

 

Bom. Por estar escrevendo HOJE, é possível imaginar que não me lembrava muito dos dados obtidos do boteco pesquisado; só me recordei quando um de meus amigos me disse que havia enviado uma mensagem SMS para ele com os preços das cachaças e o nome do garçom que nos serviu. Mas como sou esperto quando estou bêbado, não?

 

O Pirajá é um boteco bem no estilo carioca (tematizado), com preços pouco elevados e com um ótimo serviço de mesa, porém o chopp foi servido com MMUuuiitoo colarinho (essa questão poderia ser discutida posteriormente: “Como deve ser degustado um Chopp: com muito ou pouco colarinho?”). O nosso garçom, Adailton, foi muito simpático, mas teve um deslize quando pedi sugestões de cachaças numa faixa regular de preço e ele me ofereceu uma dose a 17 reais. Não me lembro se o mandei ir catar coquinho (para não usar cursed words), mas depois ele nos surgeriu duas cachaças:

 

Santo Grau (já havia citado ela, mas que nome engraçado). Essa cachaça é bem suave no começo e depois de uns 3 segundos fica forte na güela. Recomendo, com certeza. Todos que gostam de cachaça deveriam provar a Santo Grau. E no Pirajá, o preço da dose é R$ 5,00.

 

Lua Cheia (Eitcha!). Essa cachaça é forte, no começo, no meio e no fim. Caraca! Eu já tava doido, depois dessa então, fiquei (o que paulistas dizem) 13. Sinceramente, não recomendo, só para aventureiros de segunda, terceira, quarta viagem. No Pirajá, a dose sai R$ 5,00 também.

 

O prato que dividimos na mesa chama-se Lingüiça na Cachaça. Valor: R$ 20,00 (aproximadamente). A linguiça vem frita e suculenta, com cebolas, mandioca, batata frita e batata-doce. A porção também vem acompanhada de pão francês fatiado. Que delícia! Peçam, vale a pena!

 

Pirajá é um ótimo lugar para Happy Hour, para ir a dois, ou para um Emo Hour (para ir sozinho e chorar as migalhas). Recomendo.

 

Onde? Av. Brigadeiro Faria Lima, 64 em Pinheiros. São Paulo – SP

Cartões: Visa | Mastercard | Dinners

Horário: Seg e Ter: das 17h às 2h. (5ª e 6ª até 4h, dom. 12h até 19h) Sab. das 12h às 4hs.

Idade Mínima: 18

Faixa Etária: de 25 a 30

Telefone: (11) 3815-6881

Site oficial: www.piraja.com.br

Frederico Boteco – Por que assistir ao jogo num bar e vibrar???

Jogos de futebol podem ser vistos em casa (aproveitando o friozinho e ficar debaixo da coberta, aquela em que sua avó te enrolava), ou você pode pegar um avião, ou enfrentar uma fila insana e assistir o jogo no estádio e gritar junto com a torcida. Ou ainda, no meu caso, assistir ao jogo com uma galera em um boteco enchendo a cara (bem Irlandês Hooligan). Uma ótima opção para os jovens: Frederico Boteco. O bar contém 1 telão grande e 2 televisões onde são transmitidos jogos (inclusive do campeonato brasileiro, sendo que alguns só podem ser vistos pelo Pay Per View). É normal ver torcedores de vários times se zicando e vibrando com o mesmo jogo. Sensacional.

 

Parte do Frederico Boteco é em lugar aberto, bem arejado (meio inconveniente para os friorentos) e em uma localização de minha preferência, como paulistano natural: Moema. A faixa etária é, na minha avaliação, de 20 a uns 30 anos.

 

O que o Frederico Boteco tem como carro chefe (segundo o site oficial dos caras) são os pratos e petiscos. Para comprovar, degustei o que todo mundo pede em qualquer boteco no país, quando não tem nada melhor no cardápio nem uma idéia original, (BATATAS) FRITAS. Muito boa a porção. Sem reclamações. Talvez outros pratos também sejam bem servidos, vale a pena conferir!

 

Como um bom botequeiro encanador, para acompanhar com o meu chopp (Brahma), dei uma olhada nas opções de cachaça. Listadas como cachaças especiais, estão: Cavalheira, Espírito de Minas, Germana, João Mendes, Sagatiba, Salinas, Santo Grau (heheheheh), Seleta, Meladinha, Boazinha e Jurupinga, todas estas a R$4,90 a dose. A mais cara da lista era a Nega Fulo, sendo esta R$ 7,50. Provei a Espírito de Minas. Que cachaça forte, meu Deus! Boa de mais! É o Tipo de cachaça brava, que derruba! A ressaca também é animal, daquelas que dói a cabeça, você fica rouco e acorda com a barba dois centímetros maior.

 

Frederico Boteco, segue abaixo a localização correta e alguns dados (a maioria obtidos no site oficial). Recomendo (mas leve uma blusa no frio!).

 

Onde fica? Av. Aratãs, 578 – Moema (esquina com a Av.Anapurus)

Cartões: Visa | Master

Horário: 2ª a 6ª feira das 17h00 às 01h00; Sábados das 12h00 às 01h00; Domingos das 13h00 às 22h00

Idade mínima: 18

Faixa Etária: 20 a 30

Telefone: (11) 5042-1371

E-mail: fredericoboteco@terra.com.br

Site: www.fredericoboteco.com.br

Cortás: opção para cachaceiros e cachaceiras!

Amigos da Rede… ops. Amigos!

Vocês, machos alfa, que gostam de uma cachaça, de um espetinho e de uma cerveja gelada, conheçam o Cortás.

Vocês, mulheres betas, que gostam de uma cachacinha docinha, de um pastelzinho e de uma cerveja gelada, conheçam também o Cortás.

 

Antes de tudo, se você for pedir uma cachaça, peçam o auxílio do Bahia: ele foi nosso sommelier da pinga. Apresentou a cachaça de pequi, com um sabor suave, mas que engana. Depois de 2, você já está cantando e querendo descer as escadas sentada.

Tem uma branquinha que é forte, mas sem aquele gosto de álcool zulu da maioria das pingas. A de canela, de uva e de mel são as favoritas das mulheres: docinhas, baratinhas e econômicas, com 3 você já chama g-zuz de g-nésio.

 

As cervejas são as básicas de boteco, mas sempre estão trincando. Tem serra-malte e original, para a galera fina. O copo de cerveja é o que mais me surpreendeu. Eu gosto do copo americano e o do Cortás é o copo americano de Itu, enorme.

 

  Copos do Cortás

                         Foto: meu amigo e a família de copos

 

Agora vamos para a parte boa: comer!

O pastel de carne seca com catupiry é ótimo. O de queijo é mais ou menos e o de carne é bem temperado. Os espetos são bons, porém demoram para chegar. É espetinho clássico de boteco, mas é limpinho. O de queijo coalho é o meu favorito.

 

Tudo isso em um ambiente sossegado, do lado da MTV e o dono é pai de alguém do filme Tropa de Elite, por isso rolou todo um bafafá na estréia. Como não acho que bar bom é bar de gente famosa, fui conhecer e já estou habituée do local.

 

Pode levar a namorada, porém cuidado: o Cortás é praticamente um oásis no meio de botecos sujos. Se sua namorada é mais estilo boteco-chique ela vai ficar assustada, mas nada que 2 pequis não resolva.

 

Onde fica? Av. Professor Alfonso Bovero, 584 – Perdizes – São Paulo – SP

Faixa de Preço: até R$ 20

Cartões: Visa | Mastercard

Horário: De terça a sábado das 17h até meia-noite.

Idade Mínima: 18

Faixa Etária: de 25 a 30

Lotação: 50 (eles disseram 50, mas o lugar é um ovo)

Categoria: Choppzzz, Caninhas

%d bloggers like this: